segunda-feira, 22 de janeiro de 2007

O que vem a ser felicidade


Imbuído por um texto que acabei ler, na verdade uma entrevista sobre felicidade com André Comte-Sponville, um pensador francês que acredita que quem espera não é feliz, fiquei com vontade escrever a tal lista de cinco coisas que me deixam feliz. Difícil vai ser elencar as tais...

Mas antes disso, um pouco mais de Comte-Sponville (quem quiser ler a entrevista toda, está na revista Época, edição 450, de 1º de janeiro de 2007), ele acredita que a infelicidade está nas frustrações causadas pela ilusão de que é possível ser absolutamente feliz. Ele recomenda esperar menos e agir mais. Valorizar as felicidades relativas do presente.

Voltando à lista:

1- Conquistar uma mulher. A sensação de buscar o coração de uma mulher e alcançá-lo é única. Mas claro que isso só traduz uma alegria se essa for realmente a mulher que eu estiver buscando. Conquistar uma que está dando em cima de você não é conquistar!

2- Jogar jogos de tabuleiro. Estou me referindo a alguns como Imagem e Ação, Perfil, Master, Desafino... Varei! Só citei os da Grow! Esses jogos que envolvem conhecimento, criatividade ou uma certa desenvoltura em mímica. Gosto de jogar, mas gosto mais ainda de ganhar!

3- Ver filmes. O cinema é, definitivamente, a mais completa das artes. Acho que nem pode se chamar de arte porque é um conjunto de várias artes.

4- Ler textos curtos. A gente vive num corre-corre tão intenso que desestimula a ler uma história longa demais. Nada contra os fãs de Musashi, Senhor dos Anéis ect, mas eu prefiro ler uma crônica de Luís Fernando Veríssimo.

5- Lanchar. Essas comidas com gordura trans como pastéis sorvetes, pizzas e os deliciosos sanduíches do Mc Donalds - lá vou eu fazendo publicidade de graça... mas são bons mesmo. Apesar de caros que só a mulinga!

Bom, como diz Ailton e a amiga dele, chegou a hora de "passar a naba". Duvidê-ó-dó que alguém desses que eu vou recomendar se habilite a escrever, mas aí vai o recado: blogueiros de todas as nações especialmente Daslei, Audaci, Maurício, Makoto e Gio, uni-vos e escrevei a lista das cinco coisas que os deixam felizes.

19 comentários:

Breno Barros disse...

discordo de muita coisa. Esse cara está errado, absolutamente. O que ele acha que é felicidade são só breves momentos de alegria, que são coisas diferentes. É como se ele usasse a palavra "amor" no lugar de "paixão", por exemplo./// E discordo de ti tbm: conquistar o coração de uma mulher libera uma gama de drogas como oxitocina, serotonina, adrenalina... e isso, de novo, não pode ser confuindido com felicidade. Porque se for assim, é impossível ser feliz sozinho. E Marisa Monte, que é mais filósofa que esse tal de Comte-Sponville, escreveu: "Quem foi que disse que é impossível ser feliz sozinho, eu durmo sereno e acordo com o canto dos passarinhos".// Duvido que vc fique feliz quando perde nos jogos de tabuleiro!! /// O resto eu até concordo, menos com o McDonald e com cinema ser a mais completa das artes.

45iso | Homepage

Breno Barros disse...

eu duvido que Gio escreva isso!! Aposto meu dedo anular da mão direita e meus ovários!

45iso

Breno Barros disse...

pensador francês? isso eh auto-ajuda de grosso calibre..

Bruno Ricardo

Breno Barros disse...

Quer dizer que vc não gosta de ser conquistado, Breno?

Giselle

Breno Barros disse...

Giselle, você sabe que me conquistar é fácil demais... =)

Breno

Breno Barros disse...

Como diria um dos heróis japoneses da TV nos anos 80:
Maldito! Não o perdôo!

Maurício Melo | Homepage

Breno Barros disse...

Discordo de Ailton. Se o homem for, de fato, um ser social, do ponto de vista ontológico, é impossível ser feliz sozinho. Se a felicidade pode ser traduzida quimicamente, não deixa de ser felicidade. Porque, assim como nas obras de Kafka, toda tradução é imperfeita. O problema é que a "felicidade" a que se refere é a idealizada, assim como o "belo", o "bom" e o "justo" e aquilo pertencente ao mundo metafísico é deste, mas isso não elimina o "belo", o "bom" e o "justo" de nossa realidade, não são iguais, mas são correlatos, bem como a felicidade. Essa história de Marisa Monte é desculpa de quem levou um pé na bunda. Vivo encontrando gente que não vai "nunca mais" namorar e que é mais feliz sozinho. Quando vai ver, não foi correspondido(a) ou acabou uma relação recentemente. Já quanto a esperar menos e agir mais, acho que tem a ver com a probabilidade: se se faz N tentativas de ser feliz aumentam N vezes as chances de encontrar a felicidade (ou a infelicidade). PS: Cara, cria o ...meiodonada.blogspot.com... :^/

Mythus | Homepage

Breno Barros disse...

Eu já discordo do 45iso.
Até porque, a felicidade completa não existe. Somos pessoas felizes, porque vivemos pequenos momentos de alegria. O que varia é a quantidade de momento felizes em relação aos momentos tristes.
Você pode dizer que foi feliz porque comeu uma refeição deliciosa, ou se emocionou ao assistir um filme.
Eu fico feliz quando minha filha diz se orgulha de mim, ou quando meu marido diz que ama.
São momentos de pouquíssima duração, mas de repercussão eternas.
Sou feliz porque vejo a felicidade nas pequenas coisas que me cercam, e acho que isso é suficiente.
Portanto, 45iso, não espere a felicidade total e irrestrita, pois ela simplesmente não existe. E se existisse, a vida ficaria monótona e sem graça, não é mesmo?

Taty | Homepage

Breno Barros disse...

Taty, mas eu só escrevi isso: "discordo de muita coisa. Esse cara está errado, absolutamente. O que ele acha que é felicidade são só breves momentos de alegria, que são coisas diferentes. É como se ele usasse a palavra "amor" no lugar de "paixão", por exemplo."// Pronto. Só isso, As outras coisas eram citações de outras pessoas. No que eu escrevi, em que exatamente vc não concorda??/// Eu discordo tbm desse Ailton, seja lá quem ele for, e desse Mythus. Senão, vejamos: que que tem a ver a obra de kafka com a felicidade? Pelo menos vc me lembrou de procurar as referências ao inseto. E mais: o homem pode ser um ser social, o que não quer dizer que ele não possa viver sozinho. Uma coisa não anula a outra. Se ele pode viver sozinho, sendo um ser social, por que não poderia ser feliz sozinho tbm? E essa idéia é de Marisa, Arnaldo e Carlinhos, contrariando a música de Tom Jobim.

45iso

Breno Barros disse...

Mythus, entendi o que vc quis dizer da obra de Kafka. Eu tinha imaginado outra coisa porque é uma constante na obra dele dizer que os personagens são felizes apenas quando estão distraídos. Aí achei que você tava querendo dizer isso, mas tava falando da tradução. Foi mal.

45iso

Breno Barros disse...

Eu estava falando de Ontologia, se algo é isso ou aquilo, apenas quando ele existe cumprindo integralmente sua essência ele pode ser completo. Assim, sendo incompleto e não estando todas as suas características satisfeitas, o homem não pode ser feliz.

Mythus | Homepage

Breno Barros disse...

Eu que fiz o posto não estou entendendo metade do que está sendo posto nos comentários. Eita tema polêmico essa tal felicidade!

Breno

Breno Barros disse...

Isso que esse tal pensador francês falou é similar aos ensinamentos do budismo. Acho que todo mundo concorda que felicidade é um estado, e não um acontecimento com duração limitada, certo? Então, se a pessoa sempre acha que só vai ser feliz quando conseguir X, ela tem breves momentos de alegria quando consegue X mas aí vai querer Y. E depois Z, e provavelmente depois disso A, porque o mundo dá voltas, e o alfabeto pode ser visto como uma estrutura circular similar a uma álgebra modular. Pois, voltando: discordo desse 45iso aí. Felicidade é uma escolha, voce escolhe ser feliz apesar das coisas que faltam, ou sempre será infeliz. E discordo desse Mythus aí também, é possível ser feliz sozinho. Se felicidade é uma escolha, e estar sozinho ou não é uma coisa sobre a qual você não tem controle, deve ser possível ser feliz sozinho. Agora, ninguém está dizendo que qualquer pessoa será MAIS (ou menos) feliz sozinho. É possível ser feliz sozinho, junto, separado, em grandes grupos, ou como desejar. Ou não.

Andrei | Homepage

Breno Barros disse...

nao li tudo de todos os comentarios, mas inclino-me a concordar de andrei. e o conceito de "sozinho" precisa ser visto num sentido amplo, principalmente com a internet e outras novas tecnologias..

Bruno | Homepage

Breno Barros disse...

Não estou dizendo que é impossível do homem ser feliz sozinho, o que estou dizendo é que SE o homem for um ser social ele só poderá ser feliz em sociedade. E como Bruno disse, a solidão também é um conceito muitíssimo individualizado. Como eu já disse em outro lugar, acredito que a felicidade é uma convicção. E também acredito que só pode ser alcançada quando estamos convictos de que ontologicamente estamos satisfeitos.

Mythus | Homepage

Breno Barros disse...

Apesar do descrédito, respondi... hehe

Makoto® | Homepage

Breno Barros disse...

Quebrando meu silêncio binário, postei essa "brincadeira" que muitos estão levando a sério demais...

A Jr.

Breno Barros disse...

Mesmo que o homem seja um ser social, ele pode ser feliz sozinho. Onde é q tem, contradição aí? Não há, então Mythus está ficando doido mesmo. As abelhas, os elefantes etc. são seres sociais tbm e mesmo assim são felizes. Mas só os peixes são felizes integralmente porque esta espécie faz sempre uma coisa essencial à felicidade: nada.

45iso

Breno Barros disse...

quem dera ser um peixe..

Bruno | Homepage