sexta-feira, 23 de setembro de 2005

Assisti sim, e daí?


Contrariando o conselho de um colega de redação e uma ex-namorada, assisti 2 filhos de Francisco. Filme bom, mas muito aquém do que propagandearam. Se tem um cara que eu respeito dentro da crítica cinematográfica brasileira é o comentarista da CBN Marcos Petrucelli. Pois justamente ele rasgou elogios à cinebiografia de Zezé di Camargo e Luciano, inclusive contando que foi assitir ao filme com uma expectativa ruim, mas se surpreendeu.

"O filme é sensacional"; "Confesso que chorei várias vezes"; "Acho sinceramente que ele deveria ser indicado pelo Brasil para concorrer ao Oscar". Todas essas aspas foram ditas no dia seguinte à exibição em Gramado, festival em que ele não competiu, mas, segundo Petrucelli, comoveu a todos. O crítico frisou que o filme tinha todos os elementos que interessariam aos americanos na avaliação do Oscar, principalmente porque mostrava uma história de "winners". A comissão brasileira de seleção deve ter pensado parecido e ontem, na sede do Ministério da Cultura, anunciou a indicação e o sonho de Marcos se concretizou.

Posso ter pecado em criar uma expectativa grande para um filme que giraria em torno de um estilo musical que eu detesto, mas tentei ver ali os elementos de cinema como fotografia, enredo, atuação dos atores, verossimilhança, montagem, som e tudo mais que achasse ser relevante num bom filme. Tecnicamente, o diretor e meu xará, Breno Silveira, fez um bom trabalho. Só evitaria o clichê do Emival largando a bola quando viu que seu irmão podia tocar accordeon.

Em outros aspectos deixa a desejar. Zilú é uma mulher perfeita; Zezé cantava ruim com força na primeira tentativa pública e - apesar do gap entre uma cena e outra - do nada ele vira um "sabiá do Cerrado"; Luciano também se descobre cantor como em um passe de mágica. Faltou nos atores-mirins o que sobra no paraibano Ravi Ramos: expressividade no olhar. Até que menino que interpreta Emival ainda traz um pouco disso.

O filme é longo, apesar de não ser muito enfadonho, em um momento ou outro cansa. O que cansa mesmo é a insistência do roteiro em repetir que a idéia de Francisco em transformar seus filhos em cantores era coisa de doido.

Entre mortos e feridos paga o ingresso. Mas discordo totalmente da idéia de indicá-lo a competir a uma das cinco vagas de melhor filme estrangeiro. Resta aguardar o próximo dia 31 de janeiro. Acho difícil entrar entre os cinco, mas, quem sabe o Petrucelli não está com a razão?

12 comentários:

Breno Barros disse...

Estou pensando em assistir, mas falta-me tempo.

Makoto® | Homepage

Breno Barros disse...

Depois dessa crítica tao bem montada acho q nem preciso mais ver o filme... que bom!!!! hehehehe

Ei, senti sua falta ontem an reunião do PG!!
Bjinho Breno!!
;)

Ca | Homepage

Breno Barros disse...

Breno, eu assisti. No meu caso, não pagou o ingresso totalmente porque paguei R$ 12,00 pra ver o filme. Como ele valeu, na minha opinião, R$ 1,00, acho que só perdi R$ 11,00. O filme é bom (relativamente, claro). Eu tbm achei q seria pior. Em algumas partes, cheguei até a ficar surpreso, mas não chorei. Agora, indicação pro Oscar... foi forçar.

ailton

Breno Barros disse...

Acho que minha aversão pela música deles impede-me de assistir o filme de forma imparcial. Ademais, tenho uma porrada de filme pra ver no PC ;)

Mythus | Homepage

Breno Barros disse...

Oi, primo! Não suporto música sertaneja. Assisti ao filme já esperando que fosse ruim, acho que por isso me surpreendeu. Gostei muito! Mas também não acho que valha o oscar. Do jeito que a coisa anda, vão acabar fazendo filme contando a história da Tati Barraco, que já está com prestígio na globo. Onde vamos parar? risos

Ylu | Homepage

Breno Barros disse...

Só vc... acha mesmo que assitiria Aquaria? Sou eclética, mas não precisa exagerar. Rs. Do jeito que qualquer porcaria faz sucesso, logo logo esta Tati Barraco emplaca. Aí já viu, né? Além de não podermos mas ver televisão, não poderemos mais ouvir rádio... estamos perdidos!

Ylu

Breno Barros disse...

As you wish: http://www.infonegocio.com/xeron/bruno/italy.html

Mythus | Homepage

Breno Barros disse...

Eu devo ser uma pessoa preconceituosa mesmo.Nem vi o filme e nem tenho vontade tb :p
Que pena...whatever..eu nem disse q era perfeita tb!
:p
Bjinhos!
(perdoa-me as vezes q não pude falar com vc no msn, é que ele estava com "bug" e ficava se fechando e eu nao tinha como responder..:-( )

Susy | Homepage

Breno Barros disse...

Esta é uma notícia em primeira mão: a lista só será divulgada no dia 10/10, mas recebi um telefonema de Curitiba e o nosso "O GOSTO DE FERRUGEM" está no 9º Festival de Cinema, Vídeo e Dcine, na Mostra Universitária! Salve!

J.A.Jr. | Homepage

Breno Barros disse...

Ah! Os 2 de Chico ainda não assisti, não! Mas para quem não soube, a lista de candidatos a uma vaga no Oscar 2006 tinha os filmes absurdos da Xuxa e Eliana junto de ''Meu tio...'', "Contra Todos", ''Quanto Vale ou é por Quilo?'', ''Cabra-Cega'', entre outros.

J.A.Jr. | Homepage

Breno Barros disse...

rá! faz tempo que nao vejo um bom filme. =/

PauLa

Breno Barros disse...

eu me reservo ao direito de manter alguns preconceitos. por isso simplesmente nao vou ver esse filme. por melhor q possa ser, nao me interessa. quanto à indicacao ao oscar, axo q uma coisa q pesou eh o fato de o filme ainda estar em cartaz, e essa indicacao tem peso pra melhorar o seu desempenho comercial. eh um bis do q ocorreu com olga em 2004.

o cítrico